Protegendo a infância para proteger tudo


por Ariovaldo Ramos

“Assim também o Pai de vocês, que está no céu, não quer que nenhum destes pequeninos se perca.” Mateus 18.14.

A infância não deve ser protegida apenas por causa da fragilidade física e emocional do ser humano nesse período; mais que isso, é na infância que o ser humano mais do que aprende a ser gente, aprende a amar ser gente.

Quando se aprende a amar ser gente, aprende a amar tudo o que nos cerca e nos permite ser gente. Aprende-se que fazemos parte de algo maior que nós, e que, por sermos os seres mais dotados de inteligência do planeta, recai sobre nós a grande responsabilidade por sua manutenção e por sua qualidade de existência. Quando se aprende a amar ser gente, aprende-se a amar gente, a nos vermos como uma grande família, onde todos devem trabalhar pelo bem de todos, com uma visão comunitária de qualidade de vida. Quando se aprende a amar ser gente, passa-se a desejar ser gente cada vez melhor, e, então, passa-se a procurar os melhores exemplos de gente para se imitar, gente como Jesus de Nazaré, por exemplo. E essa busca pela excelência do Ser eleva a qualidade de tudo o que está à nossa volta, e de todos os nossos relacionamentos.

Há muito que fazer, não apenas para tirar as crianças do trabalho infantil, mas para garantir-lhes educação e recreação de qualidade, saúde física e emocional, o que passa necessariamente pela distribuição de renda e pela adequada prestação de serviços por parte do Estado, de modo que seus pais possam viver com dignidade, a família possa ser preservada e o carinho tenha espaço para crescer, porque, como diz o ditado popular: “quando a miséria entre pela porta, o amor pula pela janela”.

Não há paz onde não há dignidade financeira, emocional e física. A igreja pode e tem ajudado, principalmente, na questão emocional, mas nada substitui o papel do Estado no que tange à justiça social e à qualidade de serviços públicos. Precisamos construir uma Nação e um Estado onde as crianças amem ser gente.

Fonte: http://www.irmaos.com/ariovaldoramos/artigos?id=2032

Anúncios

2 Comentários

  1. Beto Gaspari said,

    3 de março de 2009 às 14:36

    Cara, que texto! é por essas e outras que continuo acreditando que é possível; basta que cada um de nós se torne um multiplicador de bons pensamentos, sentimentos e atitudes, e que desta forma possamos espalhar o “vírus do bem” a todos os cantos deste planeta. As coisas não são simples ou fáceis, mas é a partir de cada pequena atitude,de cada minúsculo gesto que poderemos construir um tempo melhor para todos.

    “…Era dos magos esse jeito menino
    Tão maroto como era de ser
    Pois a magia não se esconde nas trevas
    É um raio de luz que se vê
    No menino correndo na beira do rio
    No silêncio do peixe, no orvalho no estio

    Era dos magos é um tempo ciogano
    Que não passa nem quer se deter
    É esse tempo em que a gente procura
    O menino inocente a correr
    Encontrando magia só em perceber
    que a simplicidade é forma melhor de viver.”

    Beto Gaspari

    Valeu Fábio
    Paz e Bem por todo o sempre!

  2. 3 de março de 2009 às 17:36

    Amém, Beto! Amém!
    Sigamos juntos
    Na fé,
    Na esperança,
    Na luta!
    Paz e bem.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: