[.a máquina e eu.]


quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010
[.a máquina e eu.]

Geralmente tento ser uma pessoa legal, divertida, amiga. Depois de 30 anos de IRC confesso que tem dias que não é fácil segurar tantas perdas. Me vejo no espelho e a imagem refletida não é nem em sonho a pessoa que fui um dia. Vou administrando os problemas com uma resistência enorme, me acostumando com a imagem do espelho.

Me acostumei às agulhas e ao ambiente hospitalar, que se torna parte da minha casa. A hemodiálise é um tratamento invasivo e cruel, que me renova a cada dia. Preciso daquela máquina como preciso do meu coração. Ela é parte de mim, como aquelas pessoas que trabalham naquele ambiente.

Hoje desabafo minhas dores e me entristeço ao saber que há tanta gente precisando passar por isso todos os dias. Nas mãos de pessoas, que as vezes não sabem lidar com pessoas…

Lü Sielskis

Fonte: http://www.vidarenal.blogspot.com/

Anúncios

4 Comentários

  1. Marta said,

    11 de março de 2010 às 18:03

    E pensar que as vezes eu reclamo da vida. As vezes não, sempre. Me emocionou o depoimento desta pessoa. Quantas lutas.

    Obrigada por sempre me tirar da zona de conforto!!

    Beijos

    Marta

  2. 31 de janeiro de 2011 às 9:39

    oi me chamo alessandra sou de araraquara interior de sp, faço hemodialize a seis anos
    ja fiz dois transplante. mais não deu serto gosto de ter amizade com pessoas .sou muito amiga de todos
    . gostaria de poder ser sua amiga tambem

  3. dulcinea pereira do amaral said,

    15 de abril de 2011 às 20:52

    Estou me preparando para trabalhar nessa area de irc .estou aprendendo que meu carinho e atenção é o principio de tudo´para ajudar esses pacientes á superar a doença. quero ser uma ótima profissional nessa área de saude pois se nós não tivermos amor pelo que fazemos o que será da saúde nesse país.

  4. ana claudia mattos said,

    2 de maio de 2011 às 11:38

    Eu trab na area da saude mas especifico com hemodialise , estou aprendendo a cada dia a dar mas valor a vida com os meus pacientes, eles me dão lição de como vencer o preconceito a dor a doença e muito mas , to feliz em saber q ganho pra ajudar a quem precisa de ajuda.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: