Educação municipal aprova greve de 72 horas em Duque de Caxias

Foto: Fabio Pereira

Em audiência realizada na manhã de 11/05/2011, o governo de Duque de Caxias informou que não existe nenhuma proposta de reajuste para os profissionais da Educação do município até o momento.

Foto: Fabio Pereira

Reunidos em assembléia no Clube dos Quinhentos após a audiência, mais de mil profissionais da Educação presentes, decidiram por unanimidade entrar em Greve por 72 horas.

Logo em seguida eles seguiram em passeata pelo centro de cidade em direção a Secretaria de Educação, contando com o apoio da população.

A assembléia aprovou, ainda, o seguinte calendário de mobilização:

12/05, quinta – Reunião nas escolas com alunos, pais e responsáveis e corrida as escolas vizinhas;

13/05, sexta9 horas – Ato na porta da Prefeitura Municipal de Duque de Caxias (Jardim Primavera);

16/05, segunda – 13 horas – Assembléia no Clube dos Quinhentos.

Os profissionais denunciam, ainda, as péssimas condições de trabalho, falta de materiais didáticos e problemas estruturais das escolas da rede e exigem que o governo apresente um calendário de reformas das escolas, uma vez que algumas delas estão em situação crítica, colocando em risco a integridade física dos alunos e profissionais.

Em primeira instância esta greve cumpre o papel de advertir o governo da insatisfação da categoria que avaliará na assembléia de segunda feira se as negociações avançaram e se será necessário a aprovação da greve por tempo indeterminado.

_______________

Já nas primeiras horas, a greve ultrapassa os 90% de adesão

Segundo o comando de greve, que percorreu as escolas dos quatro distritos de Duque de Caxias, aproximadamente 90% das escolas estão paralisadas e as que funcionam operam com menos de 20%.  A direção do Sepe espera que até o fim do dia a greve tenha mais de 95% de adesão.

Falta de proposta de reajuste da prefeitura foi o principal motivo para a greveA decisão de paralisar as atividades por três dias foi tomada depois de uma audiência, no dia 11 de maio, entre a direção do Sepe e os secretários de Educação, Planejamento e Administração, que representaram o governo municipal. Durante o encontro, os secretários informaram que o governo municipal não tinha nenhuma proposta de reajuste salarial para a categoria. A decisão causou revolta dos profissionais, já que, há mais de um mês, eles estão em campanha salarial e o governo havia prometido apresentar a sua primeira proposta de reajuste nesta audiência. A reivindicação da categoria é reajuste salarial e incorporação da gratificação do FUNDEB.Os profissionais de educação das escolas municipais de Caxias reivindicam reajuste salarial e incorporação da gratificação do FUNDEB. Eles também estão denunciando as péssimas condições de trabalho na rede municipal, falta de materiais didáticos e problemas estruturais das escolas e exigem que o governo apresente um calendário de reformas das unidades, uma vez que algumas delas estão em situação crítica, colocando em risco a integridade física dos alunos e profissionais.

Contatos: Secretaria de Comunicação Sepe – Caxias

21-7712-8256   ID.  14*14037     2671-1709  (Sepe Caxias)

ricardofm2000@hotmail.com

Fonte: http://sepecaxias.org.br/site/

DENÚNCIAS APRESENTADAS PELAS ESCOLAS DA REDE MUNICIPAL AO SINDICATO ATÉ 6/04/2011

  • E.M. Mª de Araújo e E.M. Dalva Borges (escola nova):

– As escolas não realizaram os 3 dias destinados a Planejamento no mês de fevereiro. As escolas terão direito a esses 3 dias em outro momento?

  • Creche e Pré – Escola Elisa Mathias de Araújo – Vila Operária:

– Turmas regidas por estimuladoras

– Qual é o quantitativo legal de estimuladoras por crianças?

– Preocupação com boatos a respeito de premiação por desempenho na E.I

– Ausência total de material para trabalhar

  • E..M. Mariana Nunes Passos:

– A escola recebeu uma “Reforma” pois foi o 3º melhor resultado da Provinha   Brasil, ganhamos além de 350 livros. Está havendo premiação na rede por resultados na Prova Brasil?

– Conserto na iluminação: já caíram todas as lâmpadas consertadas.

  • E. M. Rotary:

– Está com problemas de infraestrutura, necessitando com urgência de obras (infiltrações, problemas no telhado).

Obs.: A Secretária de Educação disse por e-mail à direção em fevereiro de 2011 que até o final daquele mês a obra iniciaria. No entanto até hoje nada foi feito nem comunicado.

  • E.M. Maria das Graças Cardoso Bighi:

– Ontem (5/04) professores e alunos foram resgatadas por bombeiros. Inclusive foi notícia na imprensa. Todas as dependências da escola ficaram inundadas. Não tem cozinha, sendo que onde se faz a comida é um beco quente e sem janelas. A Secretaria é um cubículo, uma das salas é muito pequena. Não tem cisterna sendo um transtorno quando falta água. Toda vez que chove o pátio inunda e fica cheio de lama .Como a escola é pequena a verba não dá conta de fazer a manutenção da escola.

Obs. Não há anúncio de reformas porque o prédio é alugado.

  • E. M. José Medeiros Cabral :

– Faltam: Professores de algumas áreas do 2º segmento do Ensino Fundamental; Coordenadores de turno (para o 1º e o 2º ); Inspetores de alunos/funcionários de apoio

– Necessita se reforma da Quadra de Esportes: está interditada em péssimas condições, inclusive há uma parede que está rachada e quase desabando. Essa parede termina na rampa de acesso para o 2º pavimento , que é utilizada diariamente pela comunidade escolar;

– Abastecimento de água em condições precárias e inapropriadas.

  • Creche Elisa Mathias:

– Faltam funcionários

– 2 turmas funcionando sem professor (regida por estimulador materno-infantil).

– Deficiência no quadro de estimuladores.

  • E.M. Professor Walter Russo de Souza:

– Necessita com urgência de reformas na parte elétrica (crianças levam choque de aparelhos, os eletros são queimados).

  • E.M. Wilson de Oliveira Simões:

Turmas de 6º ano com 45 e 47 alunos em salas que mal cabem 35 alunos.

  • E .M. Mal. Mallet :

– Apesar de nadar em goteiras e outros problemas, a diretora diz que a prioridade de obras é fazer uma sala para ela.

– Quantitativos de alunos: superlotação das turma

– Turmas do ciclo: maioria das turmas com + de 25 alunos.

– 5º ano: com 35 alunos.

Deu na Imprensa – Jornal Extra – 12/05/2011