Quando secar o rio da minha infância – Frei Tito

criancas brincando

Quando secar o rio da minha infância
secará toda dor.
Quando os regatos límpidos de meu ser secarem
minh’alma perderá sua força.
Buscarei, então, pastagens distantes
– lá onde o ódio não tem teto para repousar.
Ali erguerei uma tenda junto aos bosques.
Todas as tardes me deitarei na relva
e nos dias silenciosos, farei minha oração.
Meu eterno canto de amor:
expressão pura da minha mais profunda angústia.

Nos dias primaverís, colherei flores
para meu jardim da saudade.
Assim, externarei a lembrança de um passado sombrio.

Paris, 12/10/1972 – Frei Tito

Anúncios

Semana Baixada é arte tem programação cultural gratuita até sexta-feira

Celebração e protesto no Dia da Baixada

Beto Gaspari canta e manifesta-se contra o aumento das passagens em Caxias

 Ato contra aumento das passagens de ônibus em Duque de Caxias celebra o Dia da Baixada Fluminense com música, arte e poesia

No dia da Baixada Fluminense, 30/04, Beto Gaspari – cantor, compositor, ator e militante da cultura na Baixada, canta e manifesta-se diante do valor absurdo das passagens de ônibus em Duque de Caxias. Na mesma ocasião, o artista plástico Paullo Ramos expõe pinturas de seus alunos/as que retratam o patrimônio histórico da cidade. Tubarão, poeta e escritor caxiense, também recitou sua poesia libertária e contundente. Militantes e simpatizantes do PSOL engrossaram o evento dialogando e estimulando cidadania junto à população caxiense. Busca e valorização de nossas raízes, manifestação por justiça, cidadania, liberdade e vida digna, marcou o belo ato do dia 30 de abril de 2011. Seguiremos juntos!

Veja os vídeos e outras fotos do evento:

‘Semana Baixada é Arte’ fará homenagem ao Dia da Baixada Fluminense

Em homenagem ao Dia da Baixada Fluminense, comemorado em 30 de abril, o Sesi Duque de Caxias promove a “Semana Baixada é Arte”. Entre os dias 25 e 30 de abril, artistas da Baixada vão apresentar seus trabalhos no Sesi Duque de Caxias.


De 25 à 30 de abril, acontecerão diversas intervenções culturais gratuitas como shows musicais, exibição de filmes e exposição

O objetivo desse encontro é valorizar e disseminar a produção cultural da região. As diversas intervenções culturais que estão na programação têm entrada franca.

Todos os dias haverão apresentações teatrais, atividades literárias e exibição de filmes. Além disso, acontecerão shows musicais de reggae, rock, Hip-hop, forró, samba e MPB. E ainda a exposição de artes plásticas com obras de Messias Neiva.

Abrindo a semana, no dia 25 às 15h, haverá a mesa-redonda: “Como Valorizar a Cultura na Baixada Fluminense?”. O radialista Adelzon Alves, o historiador Antonio Augusto, o economista José Carneiro, o professor Paulo Manhard, o poeta Vicente Portela e o cantor, compositor e também idealizador do projeto, Bira da Vila debaterão o assunto, mediados pelo produtor cultural do Sesi, Fábio Santini.

No mesmo dia haverá leitura de contos e poesias às 17h30 e às 20h. E o espetáculo “A noite que ele não veio” será apresentando no Teatro Sesi às 18h30. O show musical fica por conta de Beto Gaspari e Chiquinho Maciel com o repertório de MPB.

A programação de terça-feira começa com a exibição de curtas do Cineclube Anti Cinema, às 17h, com produções que percorrem o universo da Baixada Fluminense. Às 19h ocorrem intervenções poéticas com o grupo “Só de Poesia”. E às 20h o Trio Nordestino e Dominguinhos se apresentam.

No dia 27 de abril, a Escola Livre de Cinema irá exibir curtas à partir das 13h30. Haverá ainda apresentações de literatura e artes cênicas. As atrações musicais são os Mcs Allan Perreira, Slow e Léo da XIII, apresentando o Hip Hop da Baixada.

A quinta – feira, dia 28, já inicia com música com a orquestra de pandeiros, os Pandeloucos, às 13h30. No final da tarde, às 17h30, o comando estará com o Cineclube Mate com Angu que exibirá filmes e fará Intervenções poéticas. Às 20h, acontece o show de reggae com Akauan Lucena e Da Ghama.

Na sexta-feira, o cinema volta a abrir a programação com a exibição do documentário “Nunca fui, mas me disseram”, às 13h30. A noite, às 20h o show fica com as bandas de rock “Sol do Sul”, “Silvio”, “A Cidade de Duque de Caxias”, “Cretina” e “Lê Almeida”.

No dia da Baixada, 30 de abril, as comemorações começam às 10h com o espetáculo infantil “O Caipora e a Floresta”. A tarde, às 15h, será exibido o documentário, “A Casa da Pantera”. Haverá também, apresentação de dança folclórica e roda de capoeira. Encerrando as atividades, às 19h30, a Velha Guarda da Grande Rio se apresenta ao lado dos alunos da Escola de Música da AMC e Bira da Vila.

Programação Baixada é Arte

Dia 25 de abril (segunda-feira)

·         15h – Debate “Como valorizar a cultura da Baixada Fluminense?”

·         17:30h – Leitura de contos e poesias com Edelmar de Souza

·         18h30 – Cia Nós da Baixada, com o espetáculo “A noite que ele não veio”

·         20:00h –Leitura de contos e poesias com Vicente Portela

·         20:30h – Apresentação de Beto Gaspari e Chiquinho Maciel

Dia 26 de abril (terça-feira) 

17h00 – Cineclube Anti Cinema exibindo os filmes:
Sebos de Caxias – Documentário sobre o universo dos compradores e vendedores de livros no Município de Duque de Caxias. Duração: 10 min. Ano 2008. Direção: Coletiva Anti Cinema.

Lixo! – Documentário sobre o lixo existente no Município de São João de Meriti e Pavuna. Duração 10 min. Ano 2009. Direção: Coletiva Anti Cinema.

Inclusão Digital? – Ficção realizada no Município de Nova Iguaçu que aborda o tema sobre as polêmicas Lan Houses do Brasil. Duração: 7 min. Ano 2008. Direção: Marcio Graffiti. Elenco: Nós da Baixada.

19h00 – Intervenções poéticas com o grupo Só de Poesia
20h – Apresentação do Trio Nordestino e Dominguinhos.


Dia 27 de abril (quarta-feira) 

·         13h30 – Exibição de filmes com a Escola Livre de Cinema

A Velha Fofoqueira 2006 (5 minutos)

As Aventuras de Iguaçu e sua Turma 2008 (5 minutos)

Mata Sete (8 minutos)

O Bem se paga com o Bem (5 minutos)

Autorretratos (10 curtas de 1 minuto cada)

6 Filmes de animação, baseados no Guia Afetivo da Periferia, livro do Marcus Vinicius   Faustini.

·         17h30 – Artes cênicas

·         18h30 –  Intervenções poéticas com o grupo Só de Poesia

·         19h – Apresentação dos Mcs Allan Pereira, Mc Slow e Léo da XIII;


Dia 28 de abril (quinta-feira) 

·         13h30 –  Orquestra de Pandeiros – Pandeloucos;

·         17h30 – Cineclube Mate com Angu exibindo os filmes:

Lá no Fim do Mundo, do Coletivo Mate Com Angu

Praça do Pacificador, da TV Maxambomba

·         19h30 – Intervenções poéticas com os poetas: André de Oliveira, Eduardo Ribeiro, Heraldo HB.

·         20h –  Apresentação de Akauan Lucena e Da Ghama.


Dia 29 de abril (sexta-feira)

·         13h30 –  Exibição do documentário “Nunca fui mas me disseram”

·         16h30 – Artes Cênicas

·         18h00 – Intervenções poéticas com o grupo Só de Poesia

·         19h – Apresentação das bandas Sol do Sul, Silvo, A Cidade de Duque de Caxias, Cretina e Lê Almeida

Dia 30 de abril (sábado) 

·         10h – Cia Artistas do futuro, com o espetáculo “O Caipora e a Floresta”.

·         15h – Exibição do documentário “A Casa da Pantera” de Fabio Branco,

·         16h00 – Intervenções poéticas com o grupo Só de Poesia

·         16h30 – Dança folclórica: Grupo Zé Mussum de Cultura Popular, com o espetáculo “Cantos que Encantam”.

·         18h15– Atividades multiculturais

Mega – Cartoonista e Caricaturista

Casa da Cultura da Baixada Fluminense – Roda de Capoeira

·         19h30 – Apresentação dos alunos da Escola de Música da AMC, Bira da Vila e Velha Guarda da Grande Rio.

De 25 a 30 de abril – Artes Plásticas

·         Exposição permanente do artista plástico Messias Neiva

EVENTO: “BAIXADA É ARTE”

DATA: DE 25 À 30 DE ABRIL

LOCAL: SESI DUQUE DE CAXIAS – RUA ARTHUR NEIVA, 100, BAIRRO 25 DE AGOSTO

ENTRADA FRANCA

ORIGEM

A idéia de se instituir o DIA DA BAIXADA FLUMINENSE, surgiu e foi aprovada no dia 09/12/2000 em encontro da Comunidade Cultural da Baixada, realizado na Faculdade de Educação da Baixada Fluminense da UERJ -FEBF/UERJ, no município de Duque de Caxias.

A data de 30 de abril refere-se à inauguração da primeira Estrada de Ferro construída no Brasil, em 1854, que ligava o Porto de Mauá (Estação Guia de Pacobaíba) à região de Fragoso, no pé da Serra de Petrópolis.


ESTAÇÃO GUIA DE PACOBAÍBA – 1ª ESTRADA DE FERRO DO BRASIL INAUGURADA EM
30 DE ABRIL 1854.

A partir daí foram construídas outras ferrovias na região e a Estrada de Ferro tornou-se um marco histórico da ocupação urbana, dando novo perfil à ocupação do solo. Foi o começo do fim dos portos fluviais de navegação pelos rios e dos caminhos de tropeiros e o início do processo de surgimento de vilas e povoados que se organizaram em torno das estações ferroviárias, origem das atuais cidades da Baixada Fluminense.

A intenção de se comemorar o DIA DA BAIXADA FLUMINENSE é a de celebrar os valores da região e discutir os problemas atuais, com a participação consciente de toda a sociedade.

O DIA DA BAIXADA FLUMINENSE visa, em última análise, estimular o crescimento da AUTO-ESTIMA da população da região.


LEGISLAÇÃO

LEI Nº 3.822, de 02/05/2002

CONSIDERA A DATA DE 30 DE ABRIL, DIA DA BAIXADA FLUMINENSE

Art. 1º. Fica a data de 30 de abril considerada DIA DA BAIXADA FLUMINENSE.

Art. 2º. O DIA DA BAIXADA FLUMINENSE será comemorado obrigatoriamente em todas as escolas da rede estadual de ensino público e em todas as repartições públicas estaduais localizadas na região.

Art. 3º. Esta Lei entrará em vigor na data da sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Rio de Janeiro, 02 de maio de 2002

* * *

PROGRAMAÇÃO

A Programação que se propõe para o DIA DA BAIXADA FLUMINENSE deverá estender-se por todos os municípios da região, por iniciativa tanto dos órgãos públicos quanto de toda e qualquer organização, principalmente aquelas que se dedicam às questões coletivas, sociais e culturais. Por esta razão sugerimos que cada organização elabore a sua programação para o dia 30 de abril, ou datas próximas, da seguinte maneira:

1) Por todas as igrejas, de qualquer credo ou confissão, com um culto/missa/evento especial de ação de graças e invocação de bênçãos para a região.

2) Em todas as escolas da região, de todos os níveis, se possível em cada sala de aula;

3) Por todas as associações de moradores;

4) Por todas as organizações governamentais, ONGs, sejam elas municipais, estaduais ou federais;

5) Pelas câmaras de vereadores e pelas academias de letras e artes de todos os municípios;

6) Por grupos culturais, artísticos e recreativos.

Sugerimos que a comemoração conste, pelo menos, da seguinte programação básica:

1º. Breve exposição sobre a importância histórica da Baixada;
2º. Destacar os valores naturais, ecológicos, sociais e humanos, sua importância política e econômica e a responsabilidade que cada baixadense tem com o desenvolvimento humano, social e moral de sua região;
3º. Abrir debate sobre os problemas do cotidiano da região, visando a melhoria da qualidade de vida na Baixada Fluminense.


Fonte: http://duquedecaxias.net.br e http://www.ipahb.com.br