Cultura é tema do movimento Caxias de Cara Nova

Movimento debaterá a situação da Cultura em Duque de Caxias e políticas públicas para a área.

No Dia do Cinema Brasileiro, bate papo sobre cultura, com projeção de curtas, nessa terça, 19/06, 19h, no SEPE – Rua Conde de Porto Alegre, 131 – 25 de Agosto (próximo a Praça Roberto Silveira, na calçada da Cultura Inglesa). Entrada franca.

Anúncios

Oficina gratuita: O papel social da fotografia, com João Laet, fotógrafo do Jornal O Dia

O papel social da fotografia

Como usar a fotografia como instrumento de denuncia, cidadania e conquista de direitos

Oficina com

: :João Laet: :

[Fotógrafo,  Jornal O Dia]

Sábado, 19/05, das 9h às 14h

Entrada Franca

 

No Sepe: Rua Conde de Porto Alegre, 131 – 25 de Agosto – Duque de Caxias

 # Noções básicas da história da fotografia, fotojornalismo, enquadramento, luz e outras técnicas

# Trabalho de campo

Para participar é preciso enviar os dados abaixo somente até quinta-feira (17/05) para o email caxiasdecaranova@gmail.com :

> Nome completo

> Endereço completo – rua, número, bairro, cidade e CEP.

> Instituição e/ou movimento social

> Telefone residencial

> Celular

> Endereço eletrônico (email)

> E responder a pergunta: Porque você deseja fazer essa oficina?

Só receberemos inscrições até a meia noite de quinta-feira (17/05). Na sexta mandaremos mensagem – email e torpedo (sms para o celular) confirmando os inscritos e os que não foram inscritos. Os critérios para quem vai participar (apenas 30 vagas):

1) morador de Duque de Caxias;

2) quem deu CERTEZA de comparecimento;

3) relevância social do inscrito;

4) ordem de inscrição.

Três pessoas do movimento vão analisar as inscrições e definir – caso haja mais de 30 pessoas inscritas – orientadas pelos critérios: Fabio Pereira, Merlyn Santos e Tadeu Lima.

É necessário levar o equipamento que você utiliza para fazer fotos: celular, câmera portátil ou câmera profissional.

Das 11 às 14h faremos um trabalho de campo, circulando por alguns pontos: Praça Roberto Silveira > passarela do Mercado Municipal > Praça do Pacificador / Teatro Raul Cortez > Estátua do Zumbi dos Palmares > Estação Ferroviária > Retorno ao Sepe.

Vamos separar duas fotos de cada pessoa para publicação na página no Facebook do Caxias de Cara Nova.

Opcional: Quem quiser pode se programar para ficar até mais tarde. Às 14h sairemos para almoçar e às 15h retornaremos ao Sepe para analisar todas as fotos de quem fotografou e fazer comentários mais detalhados.

Os certificados serão fornecidos às 14h. Carga horária total: 5 horas.

30 de abril: Dia da Baixada Fluminense!

Um viva a Baixada Fluminense!
30 de Abril, #DiadaBaixadaFluminense

———————

FIQUE LIGADO!
Dia 12 de Maio, sábado, acontece no Sindiquímica, em Duque de Caxias, o CURSO SOBRE A HISTÓRIA DE DUQUE DE CAXIAS. “CONHECENDO NOSSA CIDADE.”

Informe-se: caxiasdecaranova@gmail.com

Escolas municipais de Duque de Caxias em situação caótica

Programa Brasil Urgente Rio, da Rede Bandeirantes de TV, exibiu matéria sobre a situação caótica das escolas em Duque de Caxias, no dia 08/02/2012. As Escolas Municipais Visconde de Itaboraí, Montese e Santo Amaro foram os exemplos das muitas unidades escolares que estão em situação precária na cidade. Veja o vídeo:

Manifestação contra o caos na gestão Zito em Duque de Caxias

Ato promete reunir inúmeras insatisfações da população na educação, transportes e recolhimento do lixo, por exemplo

Prefeitura de Caxias não paga férias e SEPE convoca manifestação!

SEPE convoca profissionais da educação e demais servidores para protesto na próxima segunda feira.

Diante de mais um desrespeito da prefeitura de Caxias para com seus servidores (o não pagamento do terço de férias), o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação está convocando um ato de protesto para a próxima segunda feira, dia 06 na Praça Roberto Silveira, no centro de Duque de Caxias.

Depois de atrasar o pagamento de dezembro, divulgar que o pagamento de janeiro só será feito nos dias 06 07 e 08 de fevereiro, a PMDC informou que não fará o pagamento das férias aos profissionais da educação. Além disso, os funcionários das firmas vivem um verdadeiro mar de incertezas: o pagamento de dezembro atrasou, o décimo terceiro ainda não saiu (alguns receberam apenas parte dele) e não há qualquer previsão para o pagamento de janeiro. Enquanto isso, a cidade está sem coleta de lixo, com a saúde pública sem recursos e as escolas sem as prometidas obras. Mesmo com todo este caos, o prefeito Zito autorizou mais um aumento no preço das passagens, provavelmente em retribuição aos brinquedos “doados” pelas empresas de ônibus para serem distribuídos nas escolas em dezembro.

Não podemos ficar parados! Precisamos nos juntar a população que está indignada pelas ruas e demonstrar publicamente toda nossa insatisfação. Não vamos pagar a conta pela má administração do governo Zito. Duque de Caxias tem dinheiro! A prefeitura tem obrigação de explicar onde está gastando os mais de 2 bilhões de orçamento público.

Além da manifestação, o SEPE prepara uma ação para cobrar o pagamento imediato das férias e uma representação no TCE questionando os contratos com as firmas que deixam trabalhadores sem pagamento.

 

Todos à Praça Roberto Silveira, segunda, dia 06, às 16 horas. Ato em defesa dos servidores municipais e contra a má administração pública em Caxias!

 

 

Educação de Qualidade com salas Superlotadas?

Prefeitura descumpre acordo de data-base, inventa desculpas e quer fazer economia aumentando o trabalho dos profissionais da educação:

Como se não bastassem as várias tarefas para fechar o ano letivo, nas últimas semanas os profissionais da educação de Duque de Caxias estão enfrentando mais um ataque da administração Zito à educação pública municipal: a ampliação do número de alunos por turma. Alegando problemas legais e pressões do governo federal, a SME enviou para as escolas uma resolução de matrículas ” que autoriza o funcionamento de turmas de até 40 alunos e retirava a conquista da redução do quantitativo em caso de aluno incluso. Para denunciar este absurdo e tentar reverter este ataque, mais de 60% das escolas paralisaram suas atividades e cerca de 600 profissionais realizaram uma passeata pelo centro da cidade no último dia 23 de novembro. Duas reuniões foram realizadas. Na primeira, a equipe da SME (a Secretária Roberta estava entregando “presentes” nas escolas) não conseguiu disfarçar o constrangimento de tentar explicar uma medida que vai contra qualquer concepção pedagógica séria: aumentar o número de alunos como forma de combater a evasão escolar (como afirmava o comunicado da própria SME). As subsecretárias apelaram então para a retórica: mesmo que a lei permita, a realidade não será assim. Deve ser a primeira vez na história do Brasil que um governo estabelece uma regra pior do que a realidade e tenta convencer que as coisas vão melhorar. A pergunta que cada um de nós deve fazer é a seguinte: se não há desejo de aumentar o número de alunos por turma, porque alterar a regra?
Cabe esclarecer que todos os argumentos utilizados pela SME foram derrubados: não existe determinação do Educacenso, Fundeb ou de qualquer órgão do MEC sobre número mínimo de alunos por turma e a reunião do Conselho Municipal de Educação do dia 24/11 poderia ter “legalizado” uma resolução de matrícula que respeitasse os acordos feitos até então. E o CME não o fez justamente porque todos os membros da SME votaram a favor da nova resolução que estabelece até 40 alunos em sala. Isso prova que aumentar o número de alunos por turma foi (e é) uma OPÇÃO POLÍTICA E ECONÔMICA da administração Zito e você, professor, é quem vai pagar o pato.
Comissão de Educação convoca Secretária:
Outra reunião ocorrida no dia da paralisação envolveu os vereadores da Comissão de Educação da Câmara de Vereadores. Diante do exposto pelo sindicato, a Comissão resolveu aprovar a convocação da Professora Roberta Barreto para uma audiência pública na Câmara para dar explicações sobre esta medida desastrosa para a população de Duque de Caxias. É mais do que fundamental que todos os profissionais que puderem estejam nesta audiência para protestar, cobrar e pressionar a prefeitura a revogar esta medida e voltar atrás. É a qualidade do nosso trabalho que está em jogo! Acontecerá dia 14 de dezembro, às 17 horas.

O que está em jogo: seu trabalho X economia de recursos em ano eleitoral:


A prefeitura não tem mais como esconder: depois de passar um ano inteiro enrolando para realizar o concurso da educação, agora tenta diminuir a necessidade de professores (de salas e de escolas), aumentando a quantidade de alunos em cada turma, mesmo que isso signifique piorar a qualidade da educação das crianças e jovens de nossa cidade. Colocando cinco alunos a mais em cada turma, o governo pode contratar menos professores, construir menos salas e menos escolas, sobrando dinheiro para reformar praças e fazer propaganda dizendo que ampliou as vagas na rede municipal. E a SME ainda quer que treinemos os alunos para fazer a prova Brasil para que o município fique bem na fita! Não se deixe enganar!
Saiba como votaram os membros do Conselho Municipal de Educação:
A principal desculpa da SME para aumentar o número de alunos por turma na rede era que a última resolução de matrícula aprovada pelo Conselho Municipal de Educação (CME) havia sido votada em 2005 e que, portanto, era esta resolução que estava legalmente valendo. Pois bem, no dia 24 de novembro, por iniciativa da representante do SEPE, o CME pautou esta questão e poderia ter aprovado uma nova resolução que contemplasse as negociações das datas-base entre 2006 e 2010. Mas, nesta reunião caiu a máscara da SME, pois todos os seus representantes votaram para aumentar o número de alunos em turma. Vejam como votaram os conselheiros:

A favor

do aumento o número de alunos em 2012:
Ângela Lomeu – SME
Fabrício Gaspar Rodrigues – SME/Sec.Governo
Rogéria de Lima Pedra – SME
Sonia Pegoral – SME
Leila T. S. Fardim- Diretora da Escola M. Eulina Pinto (indicada pela SME)
Erick Lima – UEDC
Janete S. Reis – SINPRO Baixada
Sandra Amorin – Metro V (Gov Estadual)

A favor da manutenção do quantitativo que vigorou em 2011:
Carla Couto – SEPE
Arilson M. Sá – MUB (Ass. de Moradores)
Sidney C. Neves – APAEP (Pais e Amigos da Escola Pública)


É preciso se preparar: outros ataques (e outras lutas) virão!
Diante deste quadro, o que podemos esperar para essa rede no ano que vem? Como será o calendário letivo para 2012? Teremos tempo suficiente para a realização do planejamento anual, preenchimento de relatórios e para as reuniões pedagógicas ao longo do ano? Ou só seremos cobrados para que as escolas obtenham resultados em avaliações externas, como Prova Caxias e Prova Brasil, que são utilizadas para rankear, classificar, comparar e culpabilizar a escola e os profissionais pelo fracasso da educação? Enquanto falta quase tudo nas escolas, enquanto os profissionais compram materiais para trabalhar, enquanto as escolas fazem “vaquinha” e “brechó” para ter água potável e um trocadinho para os pequenos reparos do dia a dia, o prefeito e a secretária visitam as unidades escolares distribuindo brinquedos aos alunos da rede, afirmando que as medidas adotadas pela secretaria de educação visam a busca pela qualidade no ensino. Você acredita?
Enquanto não houver investimento real na infra-estrutura das escolas e nos recursos pedagógicos necessários e indispensáveis para que aconteça uma educação de qualidade, incluindo um quantitativo de alunos adequado à realidade das escolas, o discurso desse governo só pode ser classificado como politicagem com a educação! O projeto educacional construido pela sociedade duquecaxiense é o Plano Municipal de Educação que a prefeitura engavetou e se recusa a enviar para a Câmara. O Sepe e os profissionais da Educação deste município continuarão denunciando nas praças, nas ruas, e no diálogo com os pais e com a população a realidade que vivenciamos cotidianamente nas nossas escolas!

TODOS À CÂMARA DE VEREADORES, NO DIA: 14 DE DEZEMBRO DE 2011 ÀS 17 h PARA AUDIÊNCIA PÚBLICA COM A SECRETÁRIA ROBERTA! É HORA DE PROTESTAR, DENUNCIAR E COBRAR!

      REDE DE EDUCADORES

SEPE – D. CAXIAS

Tel.: 2671-1709


Educação: a qualidade é um direito!

Para o debate crescer precisa de você!

Começamos com o debate sobre Reforma Política – que foi um sucesso! – e continuaremos o ciclo de debates para aprofundar os temas mais importantes para formular um programa de transformação para Duque de Caxias. Na próxima terça, 06/07, será EDUCAÇÃO: a qualidade é um direito! às 19h, no SEPE-Caxias. O nosso convidado é o professor Tarcísio Motta, que é diretor do Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação, o SEPE, e leciona no Colégio Pedro II. Como o próprio chamado ao debate já sugere, a qualidade da educação será o nosso eixo de reflexão, pensando em como melhorar o ensino em nossa cidade.

Para o debate crescer e florescer, precisa de você!

Há quase 2 meses em greve, professores RJ recebem proposta de 3,5% de reajuste e corte dos pontos

Após quase dois meses de greve, os professores do estado do Rio de Janeiro terão um reajuste de 3,5% a partir de setembro – valor distante dos 26% que a classe reivindicava. A medida é uma das que foram apresentadas pelo secretário estadual de Educação, Wilson Risolia, que afirmou ainda que a partir desta segunda-feira (1º) quem permanecer em greve será descontado no salário. “Quem faltar, terá seu ponto cortado. E temos ações para substituí-los”, disse ele.


‘É um deboche’, dizem professores

Mais de 40 barracas seguem montadas na Rua da Ajuda nesta segunda-feira (1º). O grupo, que segue no local há vinte dias, classificou como “deboche” o reajuste apresentado pelo governo.

“Acho muito legal ele (secretário) ter se mexido e dado um passo, mas isso é um deboche”, definiu Roberto Simões, professor de educação física do Colégio estadual João Alfredo, em Vila Isabel, na Zona Norte da cidade. Com 27 anos na escola, o salário atual dele é de R$ 1.204,78. Alunos também protestam no local.

Segundo a categoria, a greve vai continuar apesar do anúncio do corte do ponto. “A gente não pode andar pra trás, vamos continuar a greve”, disse a professora de matemática Fabiana Gonzaga, acrescentando que a escola João Alfredo está sem água.

Ao saber do reajuste de 3,5%, a diretora do Sepe-RJ, Maria Oliveira da Penha, professora aposentada, fez duras críticas ao secretário. “Ele não cumpriu uma promessa feita. Com esse reajuste, vai continuar o acampamento até 2014, pode ter certeza”.

Greve há quase 2 meses

A categoria paralisou as atividades em sala de aula no dia 7 de junho. O ápice da greve foi no dia 12 de julho, quando um grupo invadiu o prédio da Secretaria de Educação, no Centro da cidade. O tumulto foi contido pelo Batalhão de Choque, que chegou a jogar gás de pimenta para dispersar a multidão.

Do lado de fora do prédio, um grupo decidiu, em protesto, ficar acampado até ser recebido pelo secretário de Educação.

No dia 15 de julho, após uma assembleia do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio de Janeiro (Sepe), os professores decidiram continuar a greve na rede estadual de ensino do Rio.

Fonte: http://psol50.org.br

Rotina de uma professora da rede pública

O Repórter Rio segue a dura rotina da professora e militante do SEPE (Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação) Vera do Egito, que mora e trabalha em Duque de Caxias-RJ. Veja o vídeo e entenda o por que milhares de profissionais da educação estão em greve no estado do Rio de Janeiro:

Cidade do bilhão, não investe em educação!

Educação municipal aprova greve de 72 horas em Duque de Caxias

Foto: Fabio Pereira

Em audiência realizada na manhã de 11/05/2011, o governo de Duque de Caxias informou que não existe nenhuma proposta de reajuste para os profissionais da Educação do município até o momento.

Foto: Fabio Pereira

Reunidos em assembléia no Clube dos Quinhentos após a audiência, mais de mil profissionais da Educação presentes, decidiram por unanimidade entrar em Greve por 72 horas.

Logo em seguida eles seguiram em passeata pelo centro de cidade em direção a Secretaria de Educação, contando com o apoio da população.

A assembléia aprovou, ainda, o seguinte calendário de mobilização:

12/05, quinta – Reunião nas escolas com alunos, pais e responsáveis e corrida as escolas vizinhas;

13/05, sexta9 horas – Ato na porta da Prefeitura Municipal de Duque de Caxias (Jardim Primavera);

16/05, segunda – 13 horas – Assembléia no Clube dos Quinhentos.

Os profissionais denunciam, ainda, as péssimas condições de trabalho, falta de materiais didáticos e problemas estruturais das escolas da rede e exigem que o governo apresente um calendário de reformas das escolas, uma vez que algumas delas estão em situação crítica, colocando em risco a integridade física dos alunos e profissionais.

Em primeira instância esta greve cumpre o papel de advertir o governo da insatisfação da categoria que avaliará na assembléia de segunda feira se as negociações avançaram e se será necessário a aprovação da greve por tempo indeterminado.

_______________

Já nas primeiras horas, a greve ultrapassa os 90% de adesão

Segundo o comando de greve, que percorreu as escolas dos quatro distritos de Duque de Caxias, aproximadamente 90% das escolas estão paralisadas e as que funcionam operam com menos de 20%.  A direção do Sepe espera que até o fim do dia a greve tenha mais de 95% de adesão.

Falta de proposta de reajuste da prefeitura foi o principal motivo para a greveA decisão de paralisar as atividades por três dias foi tomada depois de uma audiência, no dia 11 de maio, entre a direção do Sepe e os secretários de Educação, Planejamento e Administração, que representaram o governo municipal. Durante o encontro, os secretários informaram que o governo municipal não tinha nenhuma proposta de reajuste salarial para a categoria. A decisão causou revolta dos profissionais, já que, há mais de um mês, eles estão em campanha salarial e o governo havia prometido apresentar a sua primeira proposta de reajuste nesta audiência. A reivindicação da categoria é reajuste salarial e incorporação da gratificação do FUNDEB.Os profissionais de educação das escolas municipais de Caxias reivindicam reajuste salarial e incorporação da gratificação do FUNDEB. Eles também estão denunciando as péssimas condições de trabalho na rede municipal, falta de materiais didáticos e problemas estruturais das escolas e exigem que o governo apresente um calendário de reformas das unidades, uma vez que algumas delas estão em situação crítica, colocando em risco a integridade física dos alunos e profissionais.

Contatos: Secretaria de Comunicação Sepe – Caxias

21-7712-8256   ID.  14*14037     2671-1709  (Sepe Caxias)

ricardofm2000@hotmail.com

Fonte: http://sepecaxias.org.br/site/

DENÚNCIAS APRESENTADAS PELAS ESCOLAS DA REDE MUNICIPAL AO SINDICATO ATÉ 6/04/2011

  • E.M. Mª de Araújo e E.M. Dalva Borges (escola nova):

– As escolas não realizaram os 3 dias destinados a Planejamento no mês de fevereiro. As escolas terão direito a esses 3 dias em outro momento?

  • Creche e Pré – Escola Elisa Mathias de Araújo – Vila Operária:

– Turmas regidas por estimuladoras

– Qual é o quantitativo legal de estimuladoras por crianças?

– Preocupação com boatos a respeito de premiação por desempenho na E.I

– Ausência total de material para trabalhar

  • E..M. Mariana Nunes Passos:

– A escola recebeu uma “Reforma” pois foi o 3º melhor resultado da Provinha   Brasil, ganhamos além de 350 livros. Está havendo premiação na rede por resultados na Prova Brasil?

– Conserto na iluminação: já caíram todas as lâmpadas consertadas.

  • E. M. Rotary:

– Está com problemas de infraestrutura, necessitando com urgência de obras (infiltrações, problemas no telhado).

Obs.: A Secretária de Educação disse por e-mail à direção em fevereiro de 2011 que até o final daquele mês a obra iniciaria. No entanto até hoje nada foi feito nem comunicado.

  • E.M. Maria das Graças Cardoso Bighi:

– Ontem (5/04) professores e alunos foram resgatadas por bombeiros. Inclusive foi notícia na imprensa. Todas as dependências da escola ficaram inundadas. Não tem cozinha, sendo que onde se faz a comida é um beco quente e sem janelas. A Secretaria é um cubículo, uma das salas é muito pequena. Não tem cisterna sendo um transtorno quando falta água. Toda vez que chove o pátio inunda e fica cheio de lama .Como a escola é pequena a verba não dá conta de fazer a manutenção da escola.

Obs. Não há anúncio de reformas porque o prédio é alugado.

  • E. M. José Medeiros Cabral :

– Faltam: Professores de algumas áreas do 2º segmento do Ensino Fundamental; Coordenadores de turno (para o 1º e o 2º ); Inspetores de alunos/funcionários de apoio

– Necessita se reforma da Quadra de Esportes: está interditada em péssimas condições, inclusive há uma parede que está rachada e quase desabando. Essa parede termina na rampa de acesso para o 2º pavimento , que é utilizada diariamente pela comunidade escolar;

– Abastecimento de água em condições precárias e inapropriadas.

  • Creche Elisa Mathias:

– Faltam funcionários

– 2 turmas funcionando sem professor (regida por estimulador materno-infantil).

– Deficiência no quadro de estimuladores.

  • E.M. Professor Walter Russo de Souza:

– Necessita com urgência de reformas na parte elétrica (crianças levam choque de aparelhos, os eletros são queimados).

  • E.M. Wilson de Oliveira Simões:

Turmas de 6º ano com 45 e 47 alunos em salas que mal cabem 35 alunos.

  • E .M. Mal. Mallet :

– Apesar de nadar em goteiras e outros problemas, a diretora diz que a prioridade de obras é fazer uma sala para ela.

– Quantitativos de alunos: superlotação das turma

– Turmas do ciclo: maioria das turmas com + de 25 alunos.

– 5º ano: com 35 alunos.

Deu na Imprensa – Jornal Extra – 12/05/2011